Review: Bloodhound é a Porta de Entrada a Infernos Mais Pesados

Bloodhound é um jogo de tiro em primeira pessoa que captura o clímax dos clássicos do gênero que jogávamos lá pelos anos 90. Eu recebi este jogo em antecipado e logo me encantei! Por isso hoje vou compartilhar com você as minhas impressões sobre o shooter.

O jogo já começa com o pé direito, jogando você no meio do caos sem qualquer explicação ou motivo para que tudo isto aconteça. Você simplesmente está lá para matar demônios e ponto final. Exatamente como nos clássicos. Exatamente como deve ser.

Trecho de gameplay de Bloodhound

Assista em Vídeo

Ambientação

O jogo se passa num mundo quase gótico, repleto de elementos de horror e suspense, formando paisagens tais quais aquelas vistas em filmes e séries de terror, com locais de cultos inspirados em locais reais.

Trecho de um combate contra uma Súcubo num local de culto

O jogo realmente insere você num mundo apocalíptico dominado por seres demoníacos evocados pelo Culto de Astarô. O clima todo de Bloodhound lembra muito de games clássicos como Doom, Blood e uma pegada de Serious Sam também.

Trilha Sonora

A trilha sonora é sem precedentes. Magnífica, original, toda composta por uma banda real de metal chamada Sons of Amon. Ales possuem ótimos trabalhos, os quais você encontra no site oficial que eu já linkei e também no Youtube. A seguir deixo um vídeo demonstrando um pouco da trilha sonora que você encontrará em Bloodhound.

Jogabilidade

Bloodhound traz uma movimentação um pouco mecânica, mas que é comum em jogos de tiro em primeira pessoa. Isso porque se a movimentação fosse mais realista, muito provavelmente as pessoas teriam problemas de saúde ao jogar, como enjoo, náuseas, etc.

Cena de combate contra um inimigo voador em Bloodhound

Os combates são como em qualquer jogo de tiro em primeira pessoa, porém aqui os inimigos possuem barrinhas de vida e não morrem somente com um tiro.

Acertar um headshot aumenta brutalmente o dano causado e geralmente mata o inimigo instantaneamente ou, ao menos, o incapacita no chão, bastando terminar o serviço depois. Porém, é bastante difícil de acertar um headshot. A mira é pequena e requer muito costume com o estilo de jogo para atingir este objetivo. Nada que muito treino não resolva.

História

A história do jogo é secundária, simples e direta ao ponto: você está num mundo onde um culto demoníaco evocou criaturas do submundo e cabe ao seu personagem detonar com todos eles e acabar com o Culto de Astarô.

Cultista inimigo sendo decepado

Para um jogo do gênero é mais do que suficiente e libera espaço para o objetivo principal: esmagar cabeças de Súcubos.

Não há diálogos dentro do jogo, não tem cena animada e nem nada do gênero. Você simplesmente entra num mundo onde o caos reina e tem que resolver o problema. Neste sentido, devo dizer que não há nada o que reclamar. É simplesmente como deve ser.


Você pode também gostar de

Gráficos

Quanto aos gráficos, tenho minhas ressalvas. O jogo está sendo desenvolvido em Unreal Engine 4©, porém a movimentação dos inimigos é mecânica, os efeitos especiais claramente não foram tão bem aproveitados quanto poderiam ter sido e as texturas utilizadas são de baixa resolução, com bordas totalmente mal polidas mesmo com os gráficos no máximo.

Destaque das texturas mal polidas

Isto, é claro, em nada impede a gameplay ou a diversão. Bloodhound continua sendo um jogo extremamente divertido, ainda com estes defeitos.

Trecho de gameplay de Final Fantasy VII Remake Intergrade
Final Fantasy VII Remake Intergrade
Gears 5

O que eu quero apontar é que a engine utilizada no game, a Unreal Engine 4, é capaz de entregar produtos como Final Fantasy VII Remake: Intergrade e Gears 5. Claramente não é uma limitação nesta parte.

Todavia, mesmo com os gráficos não sendo tão bem polidos e não tendo nada de incrível, temos um problema: o desempenho.

Desempenho

O desempenho de Bloodhound está bem abaixo do que eu esperava. É um jogo simples, sem muitos elementos, não tem um mundo aberto, os mapas não são tão grandes, os elementos da natureza não são hiper-realistas… Enfim, não há nada que justifique o jogo rodar abaixo dos 60 FPS em PCs de entrada.

É claro que com os ajustes gráficos adequados, ele roda num PC mais simples. Todavia, os donos de uma RTX 3050, RTX 2060 ou de uma RX 5600 terão de limitar os gráficos a no máximo o preset do médio para terem uma experiência adequada ao longo de toda a gameplay.

Em ambientes internos o jogo é bastante leve e roda super bem até mesmo na RTX 3050 com tudo no máximo, como você pode ver na captura de tela a seguir.

Desempenho próximo dos 80 FPS em ambientes internos numa RTX 3050 com o preset do alto

Já em ambientes externos, o problema começa e os FPS começam a cair drasticamente, como você pode ver na captura de tela a seguir com o jogo usando o preset do Médio.

Desempenho próximo dos 30 FPS em ambientes externos numa RTX 3050 com o preset do médio

A única solução para este caso é colocar o jogo no mínimo e aturar as quedas bruscas de desempenho.

Além disso, não há uma diferença muito grande na qualidade gráfica entre os presets do Médio e do Alto. Apenas no Mínimo é que o jogo começa a perder bastante qualidade, com os elementos da natureza cada vez mais pixelados, com bordas menos refinadas e efeitos de partículas cada vez menos realistas.

Deixo a seguir uma série de imagens para você comparar todos os presets disponíveis no jogo.

Todavia, é completamente possível de jogar. Mesmo com as quedas de FPS não há muitos ônus na gameplay, tendo em vista que é um jogo mais simples e com combates menos intensos, tendo em vista que os inimigos geralmente atacam fisicamente. A história seria totalmente diferente no caso de um CS:GO, em que inimigos também utilizam armas e cada milésimo de segundo faz diferença.

Duração

O jogo é curto. Possui, atualmente, 5 (cinco) atos, cada um com seu respectivo chefão ao final. Para saber se você terminou um ato, basta verificar se você já matou um chefão ou não. Eles ficam em ambientes bastante simples de perceber, como este na imagem abaixo.

Batalha contra o primeiro chefão de Bloodhound

Eu me perdi no meio do caminho e fiquei cerca de 10 minutos até encontrar a passagem correta novamente a fim de chegar neste chefão. Ainda assim, levei apenas meia hora para tanto.

Eu recebi Bloodhound em acesso antecipado e ainda não posso compartilhar maiores detalhes antes de seu lançamento oficial. Mas apenas pelas informações que dei você já consegue ter uma leve noção. As fases seguintes são mais complexas e levam mais tempo para serem concluídas, mas nada que faça o jogo durar eternamente também.

Fator Replay

Apesar de ser razoavelmente curto, Bloodhound tem um fator replay somente pela enorme diversão que o jogo traz. Mesmo sendo um game totalmente linear, dá vontade de jogar de novo porque é muito divertido.

A campanha traz combates intensos e o fato de você possuir total controle da dificuldade do game ajuda a querer tentar de novo, talvez numa dificuldade mais elevada.

Eu mesmo não sou um exímio jogador de FPS, então sempre começo no modo Normal e às vezes no Fácil. Mas é sempre muito divertido recomeçar numa dificuldade mais elevada e testar minhas habilidades, verificar se melhoraram.

Disponibilidade

Bloodhound estará disponível a partir do dia 18 de Julho de 2023, apenas para PC exclusivamente via Steam.

Você também pode aproveitar a versão demo do jogo, que te dá um gostinho do que está por vir no dia 18.

Veredito

Bloodhound é um shooter que te coloca no mesmo feelind daqueles que tínhamos lá pelos anos 90/2000, como Doom, Blood e Serious Sam.

É definitivamente um jogo para quem curte esse tipo de gameplay, para os nostálgicos ou para aqueles que buscam algo novo, mas não conseguem se divertir com nada. Bloodhound é diversão garantida!

Apesar dos pesares, é um jogo bastante completo e com qualidade de média a superior quando comparado a outros games indie. É definitivamente algo que eu recomendo que você ao menos teste, afinal há uma demo gratuita disponível.

Este é um jogo que nos leva a ter vontade de jogar outros do gênero. O fato de ser um game curto também auxilia para que ele se torne uma porta de entrada para o estilo. Agora mesmo, quero instalar e zerar Doom novamente. E depois, Serious Sam.

Após analisar todos os aspectos mais fundamentais de um jogo, a minha nota para Bloodhound é 8,5/10. Você pode verificar a nota detalhada especificando quanto eu pontuei em cada categoria através do widget abaixo.

Bloodhound R$ 37,99

Nome: Bloodhound

Descrição: Esmague o culto de Astarô e vença seus filhotes infernais, faça-os gritar e se esconder de onde vieram. Desfrute de uma nova aparência e diversão antiga neste jogo de tiro em primeira pessoa de horror arcade, inspirado nas lendas dos anos 90.

Estúdio: Kruger & Flint Productions

  • Ambientação - 10/10
    10/10
  • Trilha Sonora - 10/10
    10/10
  • Jogabilidade - 10/10
    10/10
  • História - 7/10
    7/10
  • Gráficos - 7/10
    7/10
  • Desempenho - 7.5/10
    7.5/10
  • Duração - 7/10
    7/10
  • Fator Replay - 10/10
    10/10

Deixe sua Opinião

Vote você também no jogo escolhendo uma quantidade de estrelas logo abaixo! Dê a sua própria nota e contribua com a comunidade 🙂

Nota
8.5/10
8.5/10
Nota do Público
0 (0 votes)

Pontos Positivos

  • Clímax idêntico aos clássicos dos anos 90
  • Objetivo, direto ao ponto, sem enrolação
  • Trilha Sonora magnífica e original, composta pela banda Sons of Amon
  • Grande imersão
  • Diversidade de armas e inimigos
  • Ambientes internos e externos bem equilibrados
  • Chefões desafiadores
  • Linha de aprendizagem leve
  • Desenvolvido em Unreal Engine 4©

Pontos Negativos

  • Desempenho baixo para os gráficos
  • Texturas sem o devido polimento
  • Não tem um tutorial adequado para iniciantes
  • Campanha curta demais
  • Engine com capacidade maior do que o jogo entrega

Outras Redes e Websites do Tio Lou

[yourchannel user=”Tio Lou Games”]